Mc 10.17-31 - O Mancebo de Qualidade


Em certa ocasião, um homem religioso procurou a Jesus e fez-lhe a seguinte pergunta: “... Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?” Mc 10.17. Jesus perguntou-se sobre alguns mandamentos da lei de Deus e ele respondeu que os observava desde a sua mocidade. O texto diz que Jesus o amou, mas que lhe disse que faltava uma coisa muito importante que era: “... vai, e vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem e segue-me”.   Essas palavras abalaram o coração daquele homem, pois era rico. O texto diz que ao ouvir as palavras de Jesus ele se retirou triste.  Isso deu ensejo ao Senhor de fazer a seguinte revelação: “... Quão dificilmente entrarão no Reino de Deus os que têm riquezas!” Mc 10.23. Impactados por essas palavras os discípulos ficaram admirados e Jesus explicou-lhes que era difícil para os que confiavam nas riquezas entrar no reino de Deus, e acrescentou: “É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no Reino de Deus” Mc 10.25. (Uns acham que o camelo era uma corda grossa e a agulha um instrumento para costurar, e outros que o camelo seria o animal e o fundo da agulha uma porta baixa em Jerusalém – em ambos os casos tratava-se de algo impossível  de acontecer). Diante da observação dos discípulos de que assim ninguém poderia se salvar, Jesus disse que aquilo era impossível aos homens, mas possível a Deus. Em seguida, Pedro perguntou o que seria deles que tinham deixado tudo para segui-Lo. Em resposta Jesus disse: “... Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do evangelho, que não receba cem vezes tanto, já neste tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições, e, no século futuro, a vida eterna” Mc 10.29,30. E complementou: “Porém muitos primeiros serão derradeiros, e muitos derradeiros serão primeiros” Mc 10.31.  No texto vemos o perigo de confiar nas riquezas e desprezar as coisas de Deus.