Não Adulterarás


1º - Não terás outros deuses diante de mim; 

2º - Não farás para ti imagem de escultura; 

3º - Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; 

4º -   Lembra-te  do dia do sábado, para o santificar; 

5º - Honra a teu pai e a tua mãe; 

6º - Não matarás; 

7º - Não adulterarás;

8º - Não furtarás; 

9º - Não dirás falso testemunho; 

10º - Não cobiçarás.

    Deus ao criar o ser humano implantou nele um  poderoso instinto que é o instituto sexual. Isso Deus fez, infere-se da revelação divina através de sua Palavra, para que o Seu programa eterno tivesse curso. “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra,...” Gn 1.27,28. Para que a procriação tivesse oportunidade Deus uniu o homem e a mulher em matrimônio e os autorizou dentro dessa instituição, e somente dentro dela, a usar o sexo. “E da costela que o Senhor Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada. Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” Gn 2.22-24.

   Todo e qualquer relacionamento sexual fora do casamento é pecado aos olhos de Deus. Quando se trata de um relacionamento sexual fora do casamento envolvendo um dos cônjuges isto é considerado por Deus como um adultério. Adultério, portanto, é aquele tipo de relacionamento sexual envolvendo uma pessoa casada com outra que não é o seu cônjuge. Esse tipo de relacionamento era punido por Deus com a pena máxima, a morte. “Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera” Lv 20.10.

   No Antigo Testamento o caso mais famoso de escândalo sexual relacionado ao assunto que estamos tratando foi o caso do grande rei de Israel, Davi, quando adulterou com Batseba, mulher de um dos seus soldados. Esse escabroso episódio está relatado em 2 Sm 11.1-27. O desdobramento do pecado de Davi o levou a cometer outro pior aos olhos humanos que foi arquitetar o assassinato de Urias, o esposo de Batseba, cumprindo-se assim aquela palavra que o próprio Davi escreveu mais tarde num dos seus salmos penitenciais: “um abismo chama outro abismo”, ou seja, um pecado não tratado leva a se cometer outro mais grave.

    O Senhor Jesus interpretando o sétimo mandamento enfatizou o princípio nele contido, dizendo que o adultério aos olhos de Deus não consiste apenas no ato sexual em si fora do casamento, e sim também na intenção do coração. “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu porém, vos digo que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar já em seu coração cometeu adultério com ela” Mt 5.27,28. Estas palavras do Senhor Jesus nos mostram quão grave  é essa questão aos olhos de Deus.

     O Novo Testamento apresenta outro caso difícil sobre o assunto e como ele foi tratado por Deus, através de nosso Senhor Jesus Cristo, que foi o caso da mulher adúltera, registrado em Jo 8.1-11. Nesse caso observamos que os facciosos líderes israelitas não trouxeram a Jesus a outra parte envolvida, o homem adúltero, pois ambos deveriam ser condenados a morte. Os acusadores da mulher disseram a Jesus que ela foi pega no próprio ato adulterando, e citaram o mandamento que mandava que ela fosse apedrejada, e perguntaram a Jesus o que ele dizia sobre o assunto. O Senhor Jesus com a sabedoria que lhe era peculiar disse àqueles acusadores que quem não tivesse pecado atirasse a primeira pedra. Todos foram atingidos por aquela poderosa palavra de Deus e tendo consciência de que eram pecadores, saíram de mansinho. O Senhor graciosamente perdoou aquela mulher, mas lhe disse depois de perdoá-la: “... vai-te, e não peques mais”.

    Amados, hoje com a banalização do sexo, esse mandamento, na cabeça daqueles que não temem a Deus, caducou, mas a santa Palavra de Deus nos diz que o adultério é pecado aos olhos de Deus e que quem vive em adultério não entrará no reino dos Céus. “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus” 1 Co 6.10.