Coincidência ou Providência?


O livro de Ester, que é o último dos livros históricos do Antigo Testamento, tem uma particularidade interessante que é não se encontrar nele o nome de Deus. Esse livro repleto de eventos maravilhosos não consta o nome de Deus, mas, em tudo, se pode observar a Sua providência através dessa história.A providência divina começa a se evidenciar com a deposição de Vastir por desobediência ao seu esposo Assuero, rei da Pérsia, na época a maior potência do mundo. Depois, num concurso de beleza, quando a judia Ester (Hadassa) foi escolhida pelo rei Assuero para substituir a rainha deposta. Deus, na sua providência, estava colocando uma pessoa de sua confiança numa posição estratégica no reino persa para intervir num momento de perigo de extermínio do seu povo, arquitetado por um feroz inimigo.Depois, podemos observar a providência divina em que o primo de Ester, Mardoqueu, descobriu um complô contra o rei Assuero por parte de dois de seus servos. Mardoqueu denunciou o fato a Ester e o rei abortou o atentado mandando enforcar os dois servos rebelde. Mas o rei esqueceu-se de beneficiar aquele que lhe salvara a vida.Outro acontecimento interessante onde é evidenciada a providência de Deus foi quando o rei Assuero resolveu exaltar um dos seus príncipes chamado Hamã, que entrou em rota de colisão com os judeus, pois esse príncipe exigia que todas as pessoas se dobrassem diante dele, o que para um judeu era inadmissível, pois as Escrituras proibiam honrar a criatura mais do que ao Criador. Com ódio no coração, Hamã resolveu destruir não só Mardoqueu, mas também a todos de sua raça. Instigado por Hamã, o rei assinou um decreto em que todos os judeus que viviam sob o seu império fossem mortos. Nesse ínterim, o rei Assuero que tinha se esquecido do benefício que lhe fizera Mardoqueu, perdeu o sono numa de suas noites e ordenou que os seus escribas lhe trouxessem as crônicas do reino. Lendo-as, o rei foi levado pela providência divina a se lembrar do episódio acontecido, quando atentaram contra a sua vida, e perguntou que benefício fora feito a Mardoqueu por isso. Tendo uma resposta negativa, o rei Assuero ordenou a Hamã, inimigo de Mardoqueu e dos judeus, que desse a Mardoqueu as maiores honras pela sua atitude.Mas que ironia do destino: aquele que iria destruir os judeus foi obrigado pelo rei a honrar o seu inimigo. Mas, não tem nada de ironia do destino aí nem também coincidência, e sim a poderosa mão de Deus trabalhando em favor do seu povo, escrevendo a história. No final, Mardoqueu é elevado à segunda autoridade no reino da Pérsia, e Hamã enforcado na forca que preparara para Mardoqueu. Irmãos, Deus está no controle de todas as coisas. A Igreja é preciosa aos seus olhos e Ele está trabalhando em favor dela, através de Sua providência. “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto”.