A Doutrina da Igreja


No estudo da Teologia Sistemática encontramos uma área que contempla o estudo acerca da Igreja, conhecida pelo nome de ECLESIOLOGIA.
A palavra Igreja vem do grego (ekklesia) e significa assembléia. O termo é tirado da cultura grega antiga quando os cidadãos eram chamados para fora de suas casas a fim de se reunirem em assembléia, em praça pública, para tratarem de assuntos da comunidade.
A Igreja que é uma instituição divina (Mt 16.18; At 20.28; 1 Pe 5.2,3; 1 Tm 3.15) divide-seem Igreja Universal ou Invisível e Igreja Local ou Visível. Por Igreja Universal entende-se o conjunto de salvos em todas as épocas, de todos os lugares, inclusive aqueles que ainda hão de ser salvos por Cristo. Por Igreja Local entende-se um conjunto de crentes em Cristo, congregados em uma determinada localidade, com os seus pastores e oficiais, que pratica as ordenanças deixadas por Jesus (Batismo Cerimonial e Ceia Memorial) e celebram ao Senhor adorando, edificando-se espiritualmente, proclamando o evangelho e cuidando dos santos necessitados.
Na Bíblia se encontram diversas figuras de linguagens usadas para identificar a Igreja: povo (1 Pe 2.9), corpo (Cl 1.18), templo (1 Co 3.16), entre outras.
A Igreja tem como atribuições que devem ser executadas neste mundo: Celebrar cultos ao Senhor (Jo 4.23,24); Promover a Edificação espiritual dos seus membros (Ef 2.21,22); Proclamar o Evangelho aos perdidos (Mc 16.15,16); e Cuidar dos crentes necessitados (Gl 6.10).
Três tipos de governos de Igrejas são usados pelos cristãos: o Episcopal (Os bispos da Igreja é que a governa); o Presbiteriano (governo feito pelos Presbíteros da Igreja, sendo o Pastor um dos Presbíteros e o presidente do Conselho); e o Congregacional (a Igreja governa-se a si mesma através de suas assembléias regulares, sendo que os Pastores e oficiais recebem da assembléia delegação para dirigi-la em suas áreas de competência).
Os oficiais da Igreja são divididos em extraordinários (apóstolos, profetas, evangelistas, mestres) e os oficiais ordinários (Pastores, Presbíteros e Diáconos). Aos Pastores Deus deu a direção de uma Igreja local, sendo auxiliado pelos Presbíteros no pastoreio da mesma (At 20.28) e pelos Diáconos na área de temporalidades da Igreja (At 6.2-4).
Duas ordenanças o Senhor Jesus deixou para ser observada pela Igreja: O Batismo Cerimonial e a Ceia Memorial. O batismo deve ser administrado aos novos crentes, com água, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, como testemunho de sua fé em Cristo (Mt 28.18-20). A Ceia deve ser celebrada periodicamente pela Igreja com a finalidade de manter viva a memória da morte redentora de nosso Senhor Jesus Cristo (Mt 26.26-30).
À Igreja Deus deu autoridade para julgar os seus membros faltosos. Essa disciplina divide-se em Formativa, Corretiva e Cirúrgica. A Formativa é feita através da ministração da Palavra de Deus. A Corretiva visa corrigir falha visível na vida dos crentes, e geralmente, implica na suspensão temporária de seus direitos como membro de uma Igreja. A Cirúrgica é aplicada quando da existência de falha gravíssima, principalmente, quando a pessoa não se arrepende dos seus erros ou apostata da fé.
É dever de todo o membro de uma Igreja local participar ativamente de seu ministério, freqüentando regularmente as suas reuniões, contribuindo financeiramente (dízimos e ofertas), orando e obedecendo aos Pastores, como Ministros de Deus.